VOLUNTARIADO

29 06 2011

A Associação dos Amigos dos Animais de Chaves é uma associação que protege, cuida os animais abandonados que estão no canil, uns resgatados de maus tratos, outros abandonados pelos “donos” ou entregues por beneméritos que os recolhem da rua por compaixão, e com o mesmo impulso fugaz nunca mais querem saber deles, e sim faz muita diferença.

Estes animais necessitam comida, abrigo, água, cuidados e essencialmente muito carinho, e que não sejam esquecidos por quem os entrega pensando terem cumprido a sua missão.

Temos muitos animais no nosso canil, alguns deles estão lá há anos, todos eles a precisar de carinho e cuidados. Por isso eles merecem a sua presença, são necessários VOLUNTÁRIOS, porque uma associação não é uma Direcção, neste caso, são pessoas e animais. Pessoas que abdicam de algum tempo livre para cuidar destes animais ajudando-os a terem a qualidade de vida que merecem, e animais que não tiveram a sorte de terem encontrado alguém que os cuide como merecem, animais que não podem ser esquecidos.

PRECISAM-SE VOLUNTÁRIOS, faça a diferença !





7 06 2011

 

 

 

 

 

 

CONTRA TUDO E CONTRA TODOS  2011-06-01

A Câmara do Porto teve uma ideia particularmente civilizada e de grande sofisticação científica para controlar o número de animais errantes da cidade: matá-los à fome.

“Apela” assim aos munícipes para que “não alimente[m] os animais”, pois na Câmara julga-se que é o “excesso de alimento [que] provoca o aumento das populações de animais” e não o facto de (como sucede com os vereadores, não consta que alguma vez um vereador tenha aparecido grávido depois de um banquete camarário) se reproduzirem.

É certa disso (que o “excesso de alimento” faz filhos) que a Câmara do Porto ignora iniciativas como a da Associação Animais de Rua para que, como acontece na generalidade dos países desenvolvidos (e em outras autarquias portuguesas), adopte um Programa CED (Capturar-Esterilizar-Devolver) nas colónias de animais seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde, a World Society for Protection of Animals, a Ordem dos Médicos Veterinários e a própria Direcção-Geral de Veterinária.

Não, a Câmara do Porto prefere matar, à fome que seja. Contra tudo e contra todos: a Convenção Europeia para a Protecção dos Animais de Companhia; os Decretos-Lei nºs 276/2001, de 17/10, e 315/2003, de 17/12; a Resolução 69/11 aprovada por unanimidade (portanto também por PSD e CDS) na AR. E contra o mero bom senso: há 30 anos que anda a matar animais e ainda não percebeu que não é assim que controlará o seu número.

Jornal de Notícias, 01/06/2011